O MDF e a preservação de memórias afetivas

Padrões têm como responsabilidade manter viva a história de árvores ameaçadas de extinção

Conceito que nunca sai de moda, a sustentabilidade é muito mais do que uma tendência, afinal, presar por atitudes sustentáveis é uma necessidade. No segmento de arquitetura, decoração e construção, a escolha de materiais que preservem a natureza deve ser levada em consideração. Nesse sentido, o MDF é uma das opções mais completas. Além de sua versatilidade, o revestimento utiliza fibras de madeira de reflorestamento como matéria-prima, evitando o desmatamento e o uso excessivo de árvores nativas.

Preservando a história

Um dos papéis do MDF, devido aos altos índices de desmatamento já realizado, é a preservação da imagem de árvores ameaçadas de extinção. Dentre os lançamentos de 2020, a Sudati, especialista no segmento, traz o Imbuia. O padrão, desenvolvido a partir das lâminas naturais, retrata a imponente espécie nativa da Mata Atlântica, que teve papel muito importante no desenvolvimento econômico do país.

Padrões: Imbuia e Sofisticado | Foto: Divulgação

Com o padrão Imbuia, a Sudati mantém vivos por gerações os detalhes dessa árvore tão marcante e expressiva. O material conta com aspecto inconfundível, possuindo tonalidades que variam do pardo-claro-amarelado ao pardo-acastanhado, com veios escuros que fazem parte da nossa memória afetiva, gerando sensação de conforto, bem-estar e segurança. As combinações são inúmeras, desde ambientes mais clássicos até projetos mais modernos.

Padrões: Imbuia e Amazônia| Foto: Divulgação












Siga @MarcosGomesBr e fale comigo !